Mensagem Espírita de Chico Xavier e André Luiz – Calma

CALMA

Se você está no ponto de estourar mentalmente, silencie alguns instantes para pensar;

Se o motivo é moléstia no próprio corpo, a intranquilidade traz o pior;

Se a razão é enfermidade em pessoa querida, o seu desajuste é fator agravante;

Se perdeu alguma afeição, a queixa tornará você uma pessoa menos simpática junto de outros amigos;

Se deixou alguma oportunidade valiosa para trás, a inquietação é desperdicio de tempo;

Se contrariedades aparecerem, o ato de esbravejar afastará de você o concenso espontâneo;

Se você praticou um erro, o desespero é porta aberta para faltas maiores;

Se você não atingiu o que desejara, a impaciência fará mais larga a distância entre você e o objetivo a alcançar.

Seja qual for a dificuldade, conserve a calma, trabalhando porque em todo problema a serenidade é o teto da alma, pedindo o serviço para soluções.

Anúncios

Sem Medo de Ser Feliz!

Não se esqueça o quanto você é especial.

Olhar pra você com bons olhos é enxergar Deus em seu interior, é se reconhecer como um ser cheio de possibilidades, de ser cada dia melhor, sem receios ou revoltas, simplesmente ser você, com você.

Muita Paz!

Hairon H. de Freitas

CARPE DIEM: SONHOS

Por: Luciana G. Rugani do Blog http://www.carpediemluciana.com

 

Sonhos…

sonhos de vil quimera

sonhos de mil canções

e sonhos de mil paixões.

Se vivo, sonho

e ao sonhar te encontro

te encontro vivo nas manhãs,

na brisa que sopra,

no sol que brilha,

te encontro em mim.

E nesse encanto mútuo caminhamos,

por entre veredas de lírios, rosas e dálias.

De repente vejo uma rosa,

linda, suave, pétalas de veludo.

A ela dirijo minha atenção,

meu olhar e meu carinho.

E, ao voltar não te encontro

Onde está você?

Desapareceu na brisa suave,

nos raios de sol?

Desperto.

Claro, claro que você se foi,

era só um sonho!

Um sonho de fantasia.

E, agora que despertei,

vou iniciar meu dia

e aguar a rosa,

fonte da minha alegria.

Luciana G. Rugani

viaCARPE DIEM: SONHOS.

MAR

Por: Luciana G. Rugani do Blog http://www.carpediemluciana.com

Mar…

destino das águas,
destino dos sonhos.
me encantam teus sons, tuas cores, tua brisa.
Defronte tua beleza respiro fundo
e tua energia me inunda o Ser.
Vejo que teu movimento reflete a vida!
O vai e vem de tuas ondas, cada uma diferente da outra em peculiaridades,
são os dias de nossas vidas.
Os ciclos de nossas vidas são
o movimento de tuas marés.
Mirando assim, daqui de fora,
não cabe em nossa imaginação o tanto de Vida que guardas, o mundo que possuis em teu interior..
Respirando fundo inalo o hálito Divino que há em ti.
Sinto preencher-me de luz, sinto sanar minhas dores e acalmo todo meu Ser.
Renovas-me a vida…
Tua força e teu poder
representam a força e poder do Criador.
Seres de Luz que te guardam, administram teu poder.
E brincam sobre as ondas, quais anjos meninos,
e trazem à tona o meu Ser menino.
E fico assim nesse instante, a te admirar, a te guardar em minha mente,
sempre a lembrar..

O Medo, mas que sofrimento!

O medo contrapõe ao sentimento de coragem.
Quando agimos com ele sentimos angústia parecendo que estamos num beco sem saída.
Quem tem medo não consegue entender o sentimento de “Coragem”.
O sentimento que brota, na verdade, é o de falta de confiança, semelhante a um cachorro que foi enxotado e que permanece com o rabo entre as pernas, mesmo na presença de seu protetor.
Nossa alma é destemida, mas nossa aura aprende a vibrar conforme nosso sentimento.
É importante que possamos aprender a vibrar de forma positiva, evitando desta maneira, agir como o exemplo do animalzinho acima, que transborda o sentimento do medo mesmo em ocasiões de paz.
O medo é uma defesa em alguns momentos, mas não em todos.
Por vezes parece transfigurar em prudência, parecendo ter legitimidade, mas não passa de uma política para controle de outrem.
A correspondência de nossa aura, às vibrações geradas por nossos pensamentos e sentimentos não é aprendida da noite para o dia, mas passa pelo fio dos anos, séculos e até de outras vivências.
É de crucial importância nossa atenção ao que realmente nos pertence, pois somente o que nos pertence pode passar pela modificação.
De acordo com nosso querer serão nossas atitudes que facilitarão nossa vida neste plano, mas facilitarão muito mais nos planos onde as coisas acontecem mais rápido.
Quem sabe se não possuímos sentimentos guardados que correspondem a tempos longínquos. Tempos em que vivenciamos outras situações, por exemplo; fugindo de piratas, nômades, morrendo de fome ou guerreando com Ivan, o Terrível.
O que atravessa vidas e vidas e são expressões claras na atualidade, são os sentimentos. Não sabemos o que aconteceu para demonstrarmos tanto medo ou tanta coragem, mas sabemos que alguma coisa aconteceu para que este padrão fosse depreendido.
O sentimento criado segue o seu padrão visível e invisível. O visível, é demonstrado nas ações do dia a dia; e o invisível, está vibrando em nossa aura.
Na verdade nada está oculto, basta ver os atos e os sentimentos que compreenderemos o que se passa.
A resposta para o medo é agirmos sempre na retaguarda, desacreditando da vida.


A resposta para a coragem é estar em comunhão conosco, acreditando sempre na vida.
De certa forma o medo é o recheio da ignorância, como se vê o chocolate em um bolo: encontramos o medo que vive nas entranhas despertando ansiedades, desordens, agressões, e o generalíssimo do egoísmo.
A ignorância faz parte da evolução, sempre a teremos sobre algum aspecto, mas precisamos ter em nosso objetivo o aprendizado constante.
Aprender faz parte da vida. Procurar o aprendizado faz parte da pessoa que quer ser melhor.
Quando descobrimos a chave da verdade, ficamos mais confiantes.
Desta forma, o medo será reduzido ou até mesmo desprezado na essência que o prolifera.
Eliminar o medo é também ter em mente o crescimento do saber.
Sabendo que o medo é um sentimento criado como se fosse um trauma.
A eliminação do mesmo, quando não passa pelo crivo da inteligência, será motivo de buscar terapias que ajudem a combatê-lo pelos sintomas causados, tais como frios repentinos, acessos de falta de confiança e outros sentimentos que não nos causam boas impressões.
Desta forma se compreendermos bem os nossos sentimentos estaremos saindo da idade média do crescimento como ser humano.
Estaremos convivendo melhor com nossos filhos, pais, cônjuges, empregados, patrões e outros.
Adotaremos posturas afetivas sem orgulhos, radicalismos e apegos.
A sensatez terá sua vez e nestes novos dias os nossos caminhos tornarão iluminados.

Muita Paz!

Hairon H. de Freitas

Somos Seres Humanos

Somos todos seres humanos, portanto voltados ao aprendizado e ao progresso.

Segundo o que reza a evolução, compreendemos facilmente o que passamos desde a caverna que habitávamos e refugiávamos, nos tempos idos.

Cabe a nós perceber o que podemos fazer por nós mesmos, saindo desta caverna que ampara o medo e a ansiedade. Donde aglutinamos forças ao egoísmo e ao orgulho esquecendo que somos parte de um Todo e que nunca seremos apartados deste meio, mesmo que queiramos posicionar nesta esfera imprudentemente traçada.

O sentimento é gritante em nós.

O sentimento provoca o real e o substancioso, criando laços bons ou maus.

O sentimento não deve ser abafado ou escondido nesta caverna escura e angustiosa.

A evolução pode ser racional e sentimental, como na orquestra sinfônica que toca aos nossos ouvidos traduzindo os bens mais preciosos da vida, que irmana com o que há de melhor em nós mesmos.

Ao sairmos da caverna sentimos o medo do que nos é apresentado, então voltamos a nos refugiar como seres inconsequentes vivendo numa indolência atroz.

Somos mais do que isto.

Somos seres humanos já capacitados em sentir e daí, somente daí partirmos em busca do melhor, sem a hipocrisia ditatória dos milênios.

Hoje vivemos parcialmente, lotados pelo que o outro pensa de nós. Nesta busca do conceito do outro, negligenciamos o que eu sinto e como participo da vida.

A vida é uma abundância só e viver é estar no Todo que encara os nossos sentimentos valorizando o que temos de melhor e o que realmente faz parte de nós.

O sentimento é um dom de Deus e não pode ser esquecido, parecendo que; o que sentimos pode ser reprovado pelo o que os outros pensam e sentem.

Este é um ditame implantado em nossa persona na mudança evolutiva do ser, donde saímos do animal ao hominal em busca constante e normal do crescer.

O que assistimos hoje e está sendo posto em cheque é o homem já inteligente, podendo interagir consigo mesmo, escondendo seu sentimento como se fosse feio. Vemos o homem ouvir as frases e tendo de acreditar nas mesmas como se verdadeiras fossem; “homem não chora”, olha só o que está inserido nesta frase: o homem não expressa seus sentimentos. Por Deus, porque o homem possui sentimento e canal lacrimal?

A natureza é sábia e não pode ser ignorada adotando frases deste tipo que parecem colocar o homem num pedestal de fortaleza, sendo que na verdade o coloca, sim num hospital para tratar o que ignorou sentir.

O homem como dissemos anteriormente é humano e como tal precisa voltar ao seu equilíbrio natural, não mais retalhando o seu sentimento, levando-o para a caverna interior e fechando-a em seu ego medroso e arbitrário.

O homem é produto do meio que o antecede e o criou, mas fazer parte do coronelismo que no século passado se impôs é não querer evoluir.

Chorar é humano és-te;

Falar das coisas bonitas da vida é humano és-te;

Ser bom e compreensivo é humano és-te;

Ser sensível é humano és-te.

Temos muita coisa que não mais precisamos. O sentimento de raiva que é distorcido e que não impulsiona ao crescimento, e que vive na mágoa; é um sentimento do qual não mais precisamos manter.

A raiva é como um cavalo selvagem que parece indomável e só o entendemos quando tentamos compreender o quão semelhante somos dos outros que também sentem raiva. Completando o ciclo da projeção do sentimento que mais conhecemos nos rendemos à raiva.

Assim passamos a vida valorizando este sentimento de raiva em detrimento do sentimento compreensivo e amoroso do bem.

O momento é de acordar em busca de novos sentimentos. Sentimentos que elevam a nossa capacidade moral e esclarecedora do ponto de vista de compreensão para com nós mesmos e com o outro.

É o início do passo firme e prudente, que conta com a nossa capacidade de viver com o pé no chão, sabendo o que quer mudar e quão benéfico é esta mudança.

Sendo assim valorizemos nossos sentimentos encontrando a fortaleza interior que dá chance ao progresso e ignora os sentimentos mórbidos que escraviza e encaverna o ser humano que estaciona diante do progresso.

Na evolução não existe idade, frase como: “pau que nasce torto, morre torto”, é outro ditado que funciona só para árvores e não para nós seres humanos. Todo mundo que erra, tem o direito de reparar para continuar a viver e ter satisfação diante da vida.

Somos frutos de Deus e como tal somos capazes de crescer diante dos sentimentos mórbidos e de nossos erros do passado.

O que aconteceu há um minuto já é passado e se arrependermos poderemos brindar com a taça de cristal que acolhe o líquido que a preenche. Sendo este líquido o vinho verdadeiro que Jesus transformou em uma festa de casamento, originando o dito; “Bodas em Caná na Galiléia”, mostrando que o homem pode transformar sua vida e acreditar em si mesmo para crescer através do tempo com seus erros e acertos, e continuar a crescer no sentido melhor, que é o do amor.

Conclusivamente sentir-se preso na caverna é ignorar os bons sentimentos da vida e dar crédito ao sentimento mórbido e egoístico.

Nunca deixaremos de sentir, o que precisamos é: direcionarmos os nossos sentimentos para o progresso do “homem novo” que se faz presente a partir do momento em que optamos em valorizar os bons sentimentos.

Sorrir ao sentir-se bem, mas chorar quando necessário for;

Fazer planos é dar sentido a vida, é fazer desde coisas simples, como organizar a hora do café, do almoço ou do banho. É programar uma viagem, uma conversa e se dar por inteiro.

Em tudo que fizermos coloquemos o nosso ânimo, adotemos a atitude de dar valor ao que os outros acreditam, mesmo que para nós seja um passo já trilhado. Não ajamos com falta de educação ou desprezo pela fala do próximo, principalmente de nossos entes mais próximos e mais queridos.

A educação é um passo fundamental para adotarmos uma disciplina que nos faça crescer com disposição e legitimidade. É uma característica nobre do ser que se programa para dar um passo com presteza e delicadeza.

Daí nasce o sentimento nobre de sermos bons no que fazemos e prósperos no que recebemos.

Tudo na vida tem o seu significado próprio.

Somos seres únicos, viventes em uma individualidade que pode ser castradora ou confortadora dentro de um sentimento aceito como satisfatório para experienciarmos o novo.

Se for consonante com a lei divina, inscrita em nossa consciência, sentiremos bem, mas senão for boa sofreremos e adquiriremos o embotamento do sentimento reparador que será aprisionado na caverna do medo e da indiferença.

A indiferença é um passo perigoso e desencorajador, que exclui e mata, que aprisiona e destrói vivendo dentro egoísmo de que só eu preciso, desmontando no outro os melhores atributos de crescimento nobre diante da vida.

No fraco que recebe a indiferença o sentimento é triste e desconsolador. É atropelador de sua vontade própria que valida à meta almejada.

Como vemos a educação é um principio básico na evolução, no progresso de nosso sentimento que precisa ser valorizado.

Acreditar em nossos melhores sentimentos é ser forte, constante, consciente, amoroso e vitorioso diante da vida. Assim seremos seres humanos em busca do novo ser que é o angélico.

Muita Paz!

Hairon H. de Freitas

Saber Viver

Por vezes precisamos lavar o nosso rosto com as lágrimas de quem quer compreender, amar e estar junto, bem perto.
Nada na vida é em vão, tudo está dentro de uma lógica que envolve tudo e a todos no universo.
O momento é de prestar atenção nos detalhes, pois estes ditam o nosso futuro e formam o nosso caráter.
E quando forma-se um caráter a dificuldade de lapidá-lo é extremamente difícil, pois exigirá ferramentas apropriadas, como a paciência e a disciplina.

Como dizia Frank Outlaw:
Vigie seus pensamentos, eles tornam-se palavras.
Vigie suas palavras, elas tornam-se ações.
Vigie suas ações, elas tornam-se hábitos.
Vigie seus hábitos, eles formam seu caráter.
Vigie seu caráter, ele se torna seu destino.

Pensemos nisto.

Muita Paz!

Hairon H. de Freitas