Vencerás

Não desanimes.
Persiste mais um tanto.

Não cultives pessimismo.

Centraliza-te no bem a fazer.

Esquece as sugestões do medo destrutivo.

Segue adiante, mesmo varando a sombra dos próprios erros.

Avança ainda que seja por entre lágrimas.

Trabalha constantemente.

Edifica sempre.

Não consintas que o gelo do desencanto te entorpeça o coração.

Não te impressiones nas dificuldades.

Convence-te de que a vitória espiritual é construção para o dia-a-dia.

Não desistas da paciência.

Não creias em realizações sem esforço.

Silêncio para a injúria

Olvido para o mal.

Perdão às ofensas.

Recorda que os agressores são doentes.

Não permitas que os irmãos desequilibrados te destruam o trabalho ou te apaguem a esperança.

Não menosprezes o dever que a consciência te impõe.

Se te enganaste em algum trecho do caminho, reajusta a própria visão e procura o rumo certo.

Não contes vantagens nem fracassos.

Não dramatizes provações ou problemas.

Conserva o hábito da oração para quem se te faz a luz na vida intima.

Resguarda-te em Deus e persevera no trabalho que Deus te confiou.

Ama sempre, fazendo pelos outros o melhor que possas realizar.

Age auxiliando.

Serve sem apego.

E assim vencerás.

Autor: Emmanuel
Psicografia de Chico Xavier

Nossa vida é feita de Escolhas.

Escolhas

Ainda bebê, já exercemos algumas escolhas como o melhor aconchego no colo ou o melhor local a ficar, e damos um berro danado caso nossas escolhas não sejam respeitadas.
Ao acordarmos, escolhemos o que faremos ou daremos prosseguimento às nossas escolhas anteriores que podem ser: ir ao trabalho, a uma escola ou a uma academia.
Acredito que escolher é uma ciência preciosa e é através desta ciência que galgamos patamares mais elevados e produzimos melhor conforme nossa afinidade.
O nosso trabalho e o nosso lazer estão intrinsecamente ligados à nossa afinidade pessoal e é muito importante que tenhamos essa consciência para melhor direcionarmos a nossa atenção.
Dentre as nossas principais escolhas, precisamos prestar bastante atenção em nossos amigos.
Sim, escolhemos nossos amigos pela afinidade e pelo mesmo sentimento de busca.
Quem já não teve na família ou no circulo de amizade alguém que o colocasse pra baixo ou que quisesse depreciá-lo?
Todos nós já passamos por isso.
Se, em nossas relações, já ficamos pra baixo ou já caminhamos por trilhas que não nos agradaram, vamos entender que foram aprendizados pelos quais, se ficarmos atentos, não passaremos mais. Ao nos relacionarmos sofremos, reciprocamente, influências uns dos outros, sejam estas influências destrutivas ou construtivas. Se você escolhe amigos que são traficantes, eles, de alguma forma, terão sua influência sobre você; se você escolhe amigos que só se sentem pra baixo e só falam conteúdos negativos, eles também terão alguma influência sobre você, então, se você busca pessoas que têm um foco no crescimento, no respeito e no sucesso, que vão de encontro aos seus próprios princípios, aí sim a influência poderá ser bem diferente.
Outra escolha importante é de como sentir-se durante o dia, pois mesmo que estejamos contrariados com o nosso trabalho, com uma festa ou com uma comemoração não programada, é necessário que trabalhemos o nosso sentimento para não alimentarmos uma energia negativa que nos habitue a ficar com uma postura caída, um corpo pesado e uma fisionomia carrancuda, pois é assim que viveremos caso não programemos a solução de acordo com as nossas possibilidades. E dentro destas possibilidades, valorizemos o estudo desta ciência da escolha, os contatos pessoais e até mesmo as nossas intuições diárias.

Muita Paz!

Hairon H. de Freitas.