Refletindo sobre a atualidade.

Não sou historiador, mas, em meu pensamento, é como se passasse um filme que tivesse sido produzido no Brasil, nos últimos quatro anos.

Fico abismado ao perceber tantos seres sintonizados fanaticamente em uma só pessoa que delas consegue tragar as melhores energias, substituindo-as por: raiva, desprezo e ódio.

Parece ser uma espécie de fascinação ditada por uma mente e endossada por outras mentes, as quais acabam por contaminar todos que por elas são tocados.

Foram 4 anos de terrorismo diário, disseminado, pelo então chefe de estado brasileiro, para todos os continentes. Democratas não vislumbram golpes à democracia, em qualquer que seja o país, além do que, é sabido que todo golpe promove subjugação, principalmente dos mais pobres. Era um dia após o outro e ficávamos esperando a nova bravata que surgiria, a nova fake news que seria carreada pelo gabinete do ódio.

Foram dias de indignação e terror, já que a intenção do chefe de estado era desmoralizar o Supremo Tribunal Federal, ente responsável, constitucionalmente, pela guarda da Constituição Federal, preparando o caminho para que ele vestisse a roupa de ditador.

Felizmente, um corajoso ministro se fez presente, valendo de seus conhecimentos e de sua disposição para encarar toda a turba enlouquecida que brotava da destruição da moral e cívica tão incompreendida pelo povo.

Promoveram, a mando do escritório do ódio, o crescimento do fanatismo e da cegueira religiosa, o materialismo, a inversão de valores e o desencontro de muitas famílias.

Como pode acontecer de irmão ficar contra irmão, pai contra filha ou filho, simplesmente por uma doutrina maluca que só teve como intenção um golpe de poder em nosso país?

Não consigo encontrar explicação a não ser no apocalipse, na psicologia de Freud ou nas historias das mil e uma noites. Só sei que, em 8 de janeiro de 2023, a loucura tomou forma nos atos insanos de pessoas controladas e raivosas, que se puseram a destruir toda a representação popular construída ao longo de décadas, e a custo de muita determinação e esforço, por pessoas que sofreram na pele ao acreditarem num país democrático e livre.

Foram dias difíceis os da ditadura. Agora, assistimos ao retorno de desavisados que querem resolver qualquer dificuldade utilizando o ódio como ferramenta principal. Já conhecemos que, somente o diálogo, com respeito ao outro e às leis, pode ter êxito na promoção do entendimento entre as partes. Fora disso, é o que assistimos entre Rússia e Ucrânia, a triste destruição de um país e a separação dos povos e das famílias.

Não queiramos chegar a esse ponto, pois nesse momento as pessoas não se reconhecerão como parte do mesmo país. Serão pessoas que encontrarão nas cores os seus inimigos naturais.

Ainda não estamos livres desses políticos e pessoas promotoras do ódio, ou das inversões de valores, mas a democracia cresceu com a maioria, e as instituições que tutelam o regime penal também cresceram com o entendimento de suas tarefas junto ao povo brasileiro.

Fiquemos atentos à proteção de nossa Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.

Hairon H. Freitas

15/01/2023

O Amor é o motivo mais nobre para viver.

No mundo espiritual não existe a palavra mal, mas sim desequilíbrio. Toda vez que alguém deseja o mal de outra pessoa, que chega ao ponto de fazer um pedido pelo sofrimento daquela pessoa, podemos dizer que isso é uma invocação. O desejo chega a tal ponto que provoca o desequilíbrio. Logo após, vem o adoecimento pela constante vivência escura, alimentada pelo lado sombrio. É nesse momento que acontece a queda moral e física.

Certa vez perguntaram a Chico Xavier se ele tinha medo de alguma coisa. Chico respondeu: “eu tenho pavor”. Então perguntaram: “De que? De Morrer?” Ao que ele respondeu: “Não, eu tenho pavor da fera que ainda habita dentro de mim”.

O que vem a ser essa fera, senão o lado sombrio que precisa ser encarado e trabalhado intimamente, e que reside dentro daquele quartinho mais escuro e confuso que existe?

Habitualmente, muitos preferem encarar o dia a dia: muito trabalho do lado de fora, muito apego, muito medo, muita coisa material, como: carro, celular, produtos eletrônicos, computadores, etc.

Habitualmente poucos preferem encarar o dia a dia, incluindo o trabalho interior, que vigia as emoções confusas, os medos desmedidos, a raiva extrema, a volúpia insipiente, etc.

O resultado está na escolha.

O ser humano, em sua busca interior, revoga atitudes inumeráveis, construídas num passado longínquo ou recente.

A criança, quando começa sentir vergonha da birra, dá um passo na evolução da compreensão de que essa atitude tem o mesmo papel da agressão que exige, merecendo ou não, o objeto do desejo.

Assim vivem os que preferem conferir dia a dia as suas emoções, analisando-as e reconhecendo as suas consequências.

Fato é, que poucos pensam em burilar seus pensamentos e suas emoções. Agem diariamente baseados nos instintos, construídos em estágios anteriores, mas que precisam ser trabalhados na Luz da consciência.

Essa Luz transformadora nos foi apresentada pelos grandes Mestres, principalmente por Jesus, quando despertou a humanidade para o Amor, e esse vem a ser o motivo mais nobre de viver.

Hairon H. de Freitas

10/01/2023

Oração da Aliança com os Irmãos.

Elevo meu pensamento a Deus para falar aos irmãos.

Meu Deus! Nesse momento conturbado pelo qual estamos passando aqui na Terra, especialmente na terra do Cruzeiro.

Estamos, Senhor, cheios da vontade de estar com os nossos braços erguidos ao mais alto, para podermos agradecer o Vosso amor que esteve entre nós há mais de dois mil anos.

Estamos aqui, Senhor, com os braços abertos para receber a Vossa misericórdia que, com tão grande amor, nos trouxestes a maior lição de todas, que é a de amar os nossos irmãos.

Nós estamos hoje aqui, Senhor, meio confusos e brigões, estamos aturdidos e perdidos, pois esquecemos da Vossa luz e, ao apartarmos de Ti,  esquecemos de nós mesmos e esquecemos do próximo.

Senhor Jesus, misericordioso amigo, estamos aqui com o coração  medroso, raivoso, e, muitas vezes, agindo contra o bem, sem percebermos.

Senhor Jesus, amigo dos amigos, estamos precisando de muito amor no nosso planeta, estamos precisando aprender a perdoar, estamos precisando aprender, principalmente, a tolerar o nosso próximo.

Senhor Jesus, estamos em verdadeiras contendas, estamos, a todo instante, desejando o mal do próximo, estamos com raiva e praticando muita coisa ruim em nome de uma religião/politica.

Senhor Jesus, misericordioso amigo, nesse momento eu reconheço o quão preciso me amparar no Vosso infinito amor, na bondade e na alegria.

Senhor Jesus, eu reconheço tudo isso, mas jamais terei paz se não me reconciliar com o meu próximo, com meu irmão que conheço, ou que não tive a oportunidade de conhecer.

Senhor Jesus, peço-vos que abençoe o nosso Brasil, que abençoe o nosso planeta, que abençoe com o Vosso amor infinito a todos os que não se entendem e que falam línguas diferentes; que, na verdade, estão sempre divergindo com o outro, mas, apenas procurando conhecer a si próprio.

Senhor Jesus, pedimos que a Vossa falange de luz possa estar nesse momento abençoando a quem se dispõe a movimentar na direção de seu irmão, seja para abençoar, seja para ajudar, seja para esclarecer. E, aqueles outros que querem somente agredir, Senhor, que a Vossa intercessão amorosa permita que um anjo da paz ilumine os pensamentos deles para o melhor de Vosso amor.

9/11/2022

Hairon H. de Freitas

Vencerás

Não desanimes.
Persiste mais um tanto.

Não cultives pessimismo.

Centraliza-te no bem a fazer.

Esquece as sugestões do medo destrutivo.

Segue adiante, mesmo varando a sombra dos próprios erros.

Avança ainda que seja por entre lágrimas.

Trabalha constantemente.

Edifica sempre.

Não consintas que o gelo do desencanto te entorpeça o coração.

Não te impressiones nas dificuldades.

Convence-te de que a vitória espiritual é construção para o dia-a-dia.

Não desistas da paciência.

Não creias em realizações sem esforço.

Silêncio para a injúria

Olvido para o mal.

Perdão às ofensas.

Recorda que os agressores são doentes.

Não permitas que os irmãos desequilibrados te destruam o trabalho ou te apaguem a esperança.

Não menosprezes o dever que a consciência te impõe.

Se te enganaste em algum trecho do caminho, reajusta a própria visão e procura o rumo certo.

Não contes vantagens nem fracassos.

Não dramatizes provações ou problemas.

Conserva o hábito da oração para quem se te faz a luz na vida intima.

Resguarda-te em Deus e persevera no trabalho que Deus te confiou.

Ama sempre, fazendo pelos outros o melhor que possas realizar.

Age auxiliando.

Serve sem apego.

E assim vencerás.

Autor: Emmanuel
Psicografia de Chico Xavier

Ponto de vista

Na vida escolhemos caminhos,
Mesmo na omissão escolhemos a direção.
Na falta da escolha criamos novo caminho.
Ao escolhermos abraçamos o existente.

Tudo depende da mente,
Tudo faz parte da experiencia.
O que não vivemos,
Fatalmente não conhecemos.

Tudo é parte de Deus,
Por isso somos importantes.
Não por causa dos bens,
Mas por sermos almas errantes.

O caminho, as vezes assusta,
Mas em tudo precisamos focar.
Sem atendermos medo constante,
De queda, desprezo e pesar.

Sintamos o aroma no vento,
Que na pressa deixa pousar,
Mesmo num breve momento,
Um cozido deixa no ar.

Sintamos a firmeza da terra,
Quanta força consegue nos dar.
Mesmo com a sua dureza,
A estabilidade consegue formar.

Vejamos a grandeza do mar,
Que as mãos não podem guardar.
Mas na sua majestade,
Cria vidas em todo lugar.

Agradeço os elementos de Deus,
E do fogo, o que posso falar?
Ele é a força primeira,
Que uniu a água, a terra e o ar.

Hairon H. de Freitas
9/9/2020

O homem e a natureza.


O homem vive enquanto o planeta se esvai.
O homem vive, mas vive mal.
O homem na inconsciência, não se respeita;
Ao mesmo tempo não se entende,
Mas, talvez não queira entender.
O homem destrói florestas, rios e mares.
Tanta beleza pertence à natureza,
Mas no momento não vê quase em lugar algum.
É bom que o homem aprenda a comer dinheiro;
Para beber, os rios estão recheados de:
Mercúrio, arsénio e chumbo.
Doenças!
As degenerativas são as preferidas e sob medida.
O homem sobrevive, mas morre.
Morre, quando não valoriza o belo;
Morre, quando o desrespeito o impulsiona;
E morre, quando não protege o seu futuro,
Amando a natureza.

Hairon H. de Freitas
27/8/2020

Sarau em Araruama RJ

Sarau realizado pela escritora Tatiana Machado, na Pizzaria Laguna, numa noite linda (22/6/19), com a lua sobre a lagoa de Araruama.
Deixo aqui os meus agradecimentos a Tatiana, sendo que em outra oportunidade participaremos com muita alegria de outro sarau, neste local que inspira os românticos.
Veja no link abaixo parte do sarau que filmei. O vídeo é bem amador, como sou amador na arte da escrita poética.
Na segunda parte da exposição aparece a escritora Luciana Rugani e ao lado aparece a anfitriã Tatiana Machado.
Hairon H. de Freitas

Considerações sobre o momento atual!


O momento é de provocação em todos sentidos.
Tudo que está acontecendo precisa passar pelo crivo da razão e da emoção, sem exacerbações, mas consonante a nossa postura equilibrada diante do medo da intemperança e das sensações volatizantes.
O momento não é de puro acaso, mas de um somatório de ações que já vem extrapolando o sentido da vida. O cerco veio fechando aos poucos, mas a vontade de Deus se faz presente e o convite para nossa mudança está sempre no ar começando na nossa própria consciência.
A batalha hoje não é mais no campo de guerra, mas em nosso mundo interior, no mundo onde habitamos e que materializa o cenário onde coexistimos.
Neste momento somos impulsionados a uma nova faixa de vibração que envolve o nosso universo, como se começássemos a participar de uma escola de nível superior e não soubéssemos quais matérias serão aplicadas.
Além deste novo curso este é o momento que estamos fazendo provas para conquistarmos a nova escola. Agora, em tempos de provas o professor fica em silêncio e atento, somente prestando atenção em seus pupilos. Agora, a misericórdia de Deus é infinita.
Hairon H. de Freitas

Algo sobre o momento de recolhimento que acontece em toda Terra.

O momento é de voltarmos para o coração.
O pior sentimento é o de que estamos traindo Jesus, o amado Mestre.
Precisamos buscar forças em nós, para entendermos a necessidade do momento, de participarmos da construção e da solidificação do amor em nós mesmos.
Não adianta imaginarmos uma Nova Terra, onde a tolerância, o amor, a paz e a saúde estejam reinando, se não solidificarmos estes sentimentos aqui e agora.
O momento é de difícil compreensão para todos nós que estamos sofrendo pela necessidade do recolhimento forçado, ocasião em que muitos estamos angustiados por uma diversidade de situações impostas pelo meio material e espiritual.
O amor precisa sobrepor-se nesse momento tão sensível. Precisamos ultrapassar as nossas limitações e buscar, dentro do nosso cadinho forjado pelo tempo, e que, por isso tornou-se imensamente resistente, aquela força que está escondida, envolta pelo medo e pela desesperança do instinto básico de sobrevivência, o sentimento de fraternidade que reconhece em todos os seres o irmão necessitado de atenção, de carinho e de amparo, seja ele emocional, espiritual ou material.
Nesse momento, estamos todos numa prova de fogo na qual precisamos continuar caminhando, apesar do medo, para acendermos a luz em nosso coração. Luz para brilhar um pouquinho mais em nossos pensamentos, emoções e atitudes.
Não podemos jamais nos esquecer do pedido de Jesus para todos que queiram colaborar com a obra do Pai, em Mateus 28:20, quando disse: “ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos”. Sendo assim, com o pouco de evangelho que já depositamos em nosso coração, com a esperança e a consciência de que não estamos desamparados, podemos agir de alguma forma no meio em que estamos. Temos consciência do muito que precisa ser feito, mas, dentro de nossas limitações, podemos fazer o pouco que nos cabe, como nos disse Madre Teresa de Calcutá: “O que eu faço é uma gota no meio de um oceano, mas sem ela o oceano será menor”.
Que Jesus, o amado Mestre, nos abençoe, sempre!
Hairon H. de Freitas

Coisas da Vida!

 

 

 

 

Acordo tenso;
Passa o dia;
Ansiedade cresce;
Nada determinável.

Continua o dia;
Tento me explicar;
Continuo tenso;
Como parar?

Segue a tarde;
Volto a pensar;
Sentindo estranho;
Como parar?

Continua a noite;
Sigo pensando;
Algo novo;
Disciplina no ar!

Hairon H. de Freitas
29/9/19