O Sermão da Montanha.


E Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos;
E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:
Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.
Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.
Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.
Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.
Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.
Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo.
Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno.
Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti,
Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta.
Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão.
Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último ceitil.
Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.
Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.
Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
Também foi dito: Qualquer que deixar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.
Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de fornicação, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério.
Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás os teus juramentos ao Senhor.
Eu, porém, vos digo que de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus;
Nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei;
Nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto.
Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna.
Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente.
Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;
E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa;
E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.
Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes.
Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;
Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.
Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?
E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?
Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.

Mateus 5:1-48

Qual a melhor solução para os nossos problemas?

Onde e quando o ódio é a solução de nossos problemas ou mesmo da forçada aceitação do outro de nossas convicções ou pensamentos?
Porque aparentemente o ódio vem sendo disseminado com tanta intensidade e veemência pelas redes sociais, no convívio do lar, no trabalho, na política ou até mesmo nos templos religiosos?
Se aguçarmos as nossas antenas sobre o que parece ser um desmoronamento da nossa sociedade, notaremos que parece um imenso sim, tudo está mais claro e sendo apresentado em pratos quentes. Assistimos assuntos antes comentados somente entre quatro paredes, sendo expostos em redes sociais e argumentados ferozmente como se devessem ser aprovados na base da força e da ignorância.
No dia de ontem 10 de julho de 2019 recebi notícias pela internet sobre: a morte do jornalista famoso, Paulo Henrique Amorim e logo depois recebi outra notícia de um deputado comemorando a sua morte; recebi a notícia da votação da reforma da previdência e logo depois fiquei sabendo que o governo usou da máquina para comprar todos aqueles deputados que se posicionaram contra, caso não fossem agraciados com 40 milhões; logo depois fiquei sabendo de um morador de rua de Montes Claros que alguém ateou fogo nele e que ele acordou em chamas, ao término da leitura do jornal o Tempo fiquei sabendo que ele teve queimaduras de 2º e 3º graus. Ainda tem mais notícias e apresentações de loucuras na TV, nas revistas e nas conversas com amigos ou conhecidos.
Agora, hoje pela manhã do dia 11 de julho de 2019 assisti um vídeo de uma médica que sensibilizada pela doença de uma paciente sua, utilizou das redes sociais para passar a sua mensagem, e, disse que não temos problemas, mas sim contratempos, pois temos problemas quando não possuímos saúde, agora contratempos seriam as demais coisas que acontecem em nossa vida. Enfim, na área de oncologia ela descobriu que problemas é quando não se tem saúde. A sua paciente disse pra ela que conseguiu fazer a quimioterapia, mas o médico disse que ela estava com metástases. A médica disse pra paciente de forma consoladora, que o câncer tem cura e a paciente respondeu: o câncer tem cura, mas antes ele humilha, onde ela continuou relatando que estava muito magra e pesava menos de 40kg estava cadavérica, careca e que vomitava toda a casa, e, que enfrentava 500km em uma ambulância sucateada para fazer o tratamento, ainda assim perguntou à médica, o que fazer? Neste momento a médica com olhar fixo em sua paciente respondeu que não sabia o que dizer, mas pediu pra ela se apegar em Deus e na fé.
Todos nós somos o somatório de muitas coisas que acontecem ao logo da vida. Saber se posicionar pelo melhor nem sempre é o mais fácil, mas é sim o correto a fazer para mantermos a nossa paz.
A empatia nos faz assimilar o melhor trato que podemos ter diante de cada situação e a nossa observação se apresenta ilibada, quando um humilha e quando o outro é humilhado. Nesta vida estamos de passagem e o tempo aqui é muito breve. Precisamos fazer o que é certo, não para agradar o outro, mas, primeiramente a nós mesmos, só assim nos tornarmos pessoas menos impacientes, menos cobradoras, menos orgulhosas e menos egoístas.
Se hoje somos atingidos por algo aparentemente estrangulador e triste, não esperemos no mal, mas confraternizemos na escolha de fazermos o bem a nós mesmos. Este bem é aquele de deixamos passar, de relevarmos e que escolhamos como aquele pobre morador de rua, que recebeu de um transeunte um saco cheio de lixo e o morador de rua o encheu de flores e retribuiu ao transeunte que o perguntou: porque você me deu estas flores e o morador de rua respondeu, cada um dá o que está cheio por dentro.
Vamos montar um depósito de amor constantemente em nosso coração, pois como disse Jesus: o céu e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão. Mt 24:35. Desta forma algum dia ainda viveremos o amor pleno aqui na Terra, pois tudo o que Jesus nos ensinou foi sobre o amor.
Hairon H. de Freitas
11/7/2019

Encontramo-nos no lugar certo, no momento certo, vivendo neste planeta “magnífico”.


Atualmente vivemos na idade da pedra, em relação aos sentimentos. Poucos estão aptos a reconhecer a imprescindibilidade do outro.
Quase sempre apercebemos somente as nossas necessidades, as nossas dores e os nossos medos, os quais sempre nos levam à conclusão da raiva, da mágoa ou da ira.
É assim, uma programação automática e a resposta se pronuncia mais rápida do que o cérebro, pois foi cultivada pelos hábitos perniciosos que não passam pelo crivo da razão, mas seguem o atalho instintivo que desencadeia o horror que obstantemente divisamos.
Eu me pergunto, às vezes: será que o ser humano teria a condição de se colocar no lugar do outro usando somente a imaginação?
Se uma criança acordasse e ouvisse seus pais brigando na madrugada e a mesma conseguisse sentir em seu organismo os efeitos desastrosos emitidos: da raiva, do medo e da mágoa e esta criança não discernisse os seus próprios sentimentos dos que estava recebendo e se esta mesma criança dentro de sua sensibilidade, além de sentir os efeitos, adoecesse por não saber afastar estas más vibrações de sua psicosfera?
Nada é por acaso, mas tudo tem a ver com o que precisamos passar para aprender.
Se somos deseducados e desconhecemos a importância de primeiramente trabalharmos nosso autoaprimoramento, sem dúvida nenhuma temos muito ainda que aprender. Se nos achamos um pouco sabidos, aí sim, precisamos atentar para o nosso grau doentio, que é ainda maior.
Vivemos momento angustiante em que sobressai uma guerra gigantesca de emoções, que, às escondidas, provocam dano imenso em nossa sociedade hipócrita cujos membros são “experts” em fingir serem o que não são.
É muito triste a situação da maioria de nós que vivemos neste planeta no momento atual, quando ainda nos encontramos iludidos e hipnotizados pelo que a matéria nos apresenta, pelo que a sociedade instituiu e pelo que a egrégora do planeta vem depositando em nossos destinos.
Tudo o que vivemos são influências de nós mesmos, são respostas das quais não temos como fugir, são construções provocadas por nossos pensamentos e por nossos sentimentos, já que os mesmos funcionam como tijolos e argamassas que se fundem à construção diária e que nunca deixam de produzir os seus efeitos reais.
É este o momento de procurarmos produzir melhores pensamentos e melhores sentimentos, para obtermos um futuro melhor, de trazermos para os dias atuais o sentimento de que podemos viver em mundo mais evoluído, onde todos aspectos da vida sejam respeitados e valorizados, onde a individualidade procure se autoavaliar diariamente sobre como seus pensamentos e atos estão influenciando no próximo, e ainda, como poderá fazer melhor!
Hairon H. de Freitas

Uma Linda Canção!

O ser humano é um imitador nato. Quando o cantor entoa esta linda canção, as pessoas demostram seu carinho através dos gestos e suas feições são modificadas pela graciosidade da canção. Que possamos transmitir o amor em nosso caminho até chegarmos ao ponto em que, até mesmo calados, sem dizermos nada, mesmo assim transmitiremos a paz e ela tocará os corações, podendo levar aos prantos. Somos seres sensíveis e podemos valorizar o amor, sempre o amor!
Hairon H. de Freitas

Créditos: Neste vídeo assistimos a apresentação do cantor Martin Hurkens!

O Auxílio Virá.


O problema que te preocupa talvez te pareça excessivamente amargo ao coração. E tão amargo que talvez não possas comentá-lo, de pronto.

Às vezes, a sombra interior é tamanha que tens a idéia de haver perdido o próprio rumo.

Entretanto, não esmoreças. Abraça o dever que a vida te assinala.

Serve e ora. A prece te renovará energias. O trabalho te auxiliará.

Deus não nos abandona. Faze silêncio e não te queixes.

Alegra-te e espera, porque o Céu te socorrerá. Por meios que desconheces, Deus permanece agindo.

Espirito Emmanuel – Chico Xavier

Grandes rachaduras na camada de gelo da Antártida pedem atenção do Mundo!

Deu no Site Uol: http://gizmodo.uol.com.br/rachaduras-antartida-ocidental/

No ano passado, um pedaço de mais de 580 km² do glaciar de Pine Island, na Antártida Ocidental, se soltou e caiu no mar. Agora cientistas da Terra da Universidade do Estado de Ohio, nos EUA, detectaram a causa desse evento: uma rachadura que começou muito abaixo do solo e em terra.
geleira-1

Você já se escutou hoje?

45
Você já se escutou hoje?
Que pergunta, hein?
Pois é, a nossa capacidade de escutar os outros passa primeiro pela acuidade de escutarmos bem a nós mesmos.
Normalmente, se pararmos um pouco, se tirarmos um tempo para nós mesmos, ouviremos: reivindicações, desagrados, dores e acima de tudo raiva, muita raiva.
Só que no dia a dia não nos ouvimos e passamos a vida carregando um sentimento impróprio, segundo a natureza de que Deus nos criou.
Nossa natureza é própria para a felicidade e para isso precisamos pensar os nossos sentimentos que podem estar carregados de uma emoção doente, impropria e insana.
Às vezes, quando nos escutamos, a emoção fala em: raiva, angústia, medo, depressão. Esses sentimentos acabam nos sintonizando com pessoas que alimentam este mesmo sentir, que por sinal é super inadequado.
Daí saímos pra rua, encontramos pessoas com este modelo e queremos discutir, ficamos ansiosos, tensos e queremos brigar, tudo isso por causa da sintonia.
É como se diz: você arruma a cama em que vai se deitar. Para evitar este tipo de situação, precisamos entrar em um acordo conosco mesmo, passarmos a perdoar e não guardarmos ressentimento, o que é extremamente nocivo ao nosso bem estar.
Muitas vezes ficamos esperando que alguém faça algo pra gente sem que a mesma tenha essa obrigação. Passamos a cobrar e ficamos magoados se a pessoa não faz. É uma das coisas que mais acontecem em nossa sociedade. Somos extremamente críticos e donos da verdade. Outras vezes assumimos a condição de inquisidor-mor, que gradua a crueldade dos castigos que passarão a vigorar a partir do momento em que a pessoa não atendeu às nossas insanas expectativas.
Quanta criancice de emoção, quanta infantilidade que carregamos, como, por exemplo, o sentimento medíocre de vítima. Passamos pela vida culpando Deus e o mundo pela nossa penúria.
Já passou da hora de assumirmos a nossa condição de maior idade e entendermos que a vida não foi feita para ficarmos reclamando ou nos passando por vítimas. A vida é boa pra se viver quando não pensamos em prejudicar outras pessoas, nem por pensamento; quando não ficamos criticando ou cobrando das pessoas o tempo todo, parecendo que somos seres perfeitos; quando entendemos a fragilidade pela qual todos passamos, pois somos humanos e vivemos num sistema de interação; quando enxergamos que o próximo também está à procura do melhor e merece respeito; quando não nos vitimamos; quando não ignoramos pessoas, sendo que as mesmas são a base para uma vida melhor e mais feliz; quando perdoamos os deslizes que a nossos olhos aconteceram.
A autoeducação é uma base que precisa ser consolidada e tornar-se cada vez mais forte. Precisamos nos escutar e captarmos nossas fraquezas, estudá-las e analisá-las por completo, perscrutando a nossa razão moral, que considero a lei básica e divina que possui a condição de nos educar.
Hairon Herbert de Freitas