Bill Gates alerta o mundo!

Deu no msn: http://www.msn.com/pt-br/noticias/mundo/bill-gates-alerta-mundo-deve-se-preparar-para-uma-pandemia/ar-AAn5tSW?srcref=rss

aan5ikb

A comunidade internacional deve se dar conta de que tem que se preparar para uma pandemia, disse neste sábado Bill Gates, fundador da Microsoft, na Conferência de Segurança em Munique.

Tomando como exemplo a epidemia do ebola na África Ocidental em 2014 e 2015, a gripe espanhola em 1918 e mencionando a possível invenção de um vírus com fins “terroristas”, Gates considerou “possível” uma catástrofe em nível mundial.

Segundo o empresário americano, as guerras e os movimentos de agitação caminham lado a lado com as doenças e são mais propensos a provocar uma pandemia.

“Que apareçam na natureza ou pelas mãos de um terrorista, os epidemiologistas dizem que uma doença transmitida pelo ar que se propagam rapidamente pode matar 30 milhões de pessoas em menos de um ano”, explicou Gates durante esta reunião anual de responsáveis da diplomacia mundial.

“As zonas de guerra e outros cenários são os lugares mais difíceis para eliminar as epidemias”, assegurou.

Gates disse que é “bastante provável” que o mundo viva uma epidemia assim nos “próximos 10 ou 15 anos”. “Para lutar contra as pandemias globais, também se deve lutar contra a pobreza… É por isso que corremos o risco de ignorar a relação entre segurança de saúde e segurança internacional”.

Bill Gates, que fez sua fortuna com a empresa de software Microsoft e agora destina milhões de dólares para a filantropia, pediu que os Estados invistam na pesquisa para desenvolver tecnologias capazes de criar vacinas em poucos meses.

E lembrou que a maioria das medidas de controle necessárias são as que os governos realizaram para fazer frente a um ataque biológico terrorista.

“O custo global na preparação diante de uma pandemia está estimado em 3,4 bilhões de dólares por ano. A perda anual que uma pandemia provocaria poderia alcançar os 570 bilhões”, afirmou.

Meio Ambiente

MA

Pensar e falar sobre o meio ambiente é muito fácil.
É recordar as belezas da infância ao sentir o carinho de nossos queridos pais;
É recordar as brincadeiras que envolviam a simplicidade da construção dos carrinhos de rolimãs e dos cavalos de pau;
É perceber o quanto foram transformados os horizontes, antes com muitas árvores; florestas que se transformaram em loteamentos nos quais hoje já não percebemos mais as belezas naturais, mas sim construções e mais construções, sem restar o mínimo de lembrança daquele lugar que antes inspirava a índios e caboclos que percorriam distancias enormes transportando o gado.
Ainda temos chance de voltar os nossos olhos ao meio ambiente e valorizar o que nos dá a vida. Vivemos dias difíceis pela educação que encontramos nas pessoas, mesmo as de bem não atentam para o que fazer ou não fazer para manter uma água limpa, ou para evitar poluir o local em que vivem.
Acredito que a educação é um tema básico que precisa ser amplamente divulgado pelas autoridades do assunto e pelas autoridades governamentais.
Volto os meus olhos ao passado onde escutava bastante o falar sobre o rombo na camada de ozônio, mas, diante de tantas atrocidades que acontecem diariamente, este assunto tem ficado à margem e não se cogita mais sobre o que fazer em relação a este tema tão importante.
Vemos situações incômodas dos seres habitantes dos mares do Pacífico, os quais parecem sofrer uma mudança genética devido à quantidade de plástico ingerido, região que até uns 20 ou 30 anos atrás não apresentava tal lixão.
Vemos pela internet tartarugas que cresceram deformadas por terem tido seus corpos envolvidos em argolas plásticas, aves com o estômago cheio de tampinhas e a triste ideia humana que usa a pesca de arrastão no fundo dos mares, transformando-os em desertos sem vida.
O momento de transformação é agora.
Quanto mais divulgarmos o assunto, quanto mais o compreendermos, mais sentiremos a necessidade da mudança de hábitos.
Não ignoremos o que acontecerá neste planeta caso fiquemos como letrados e escritores que acusam políticos corruptos, mas não se prestam a doar sua cota de participação em prol de uma boa gestão do país.

Hairon H. de Freitas.

“ONDAS DO PERÓ” NA SMA XIX SEMANA DE MEIO AMBIENTE

Deu no Carpediem: http://www.carpediemluciana.com/

 

“ONDAS DO PERÓ” NA SMA XIX SEMANA DE MEIO AMBIENTE

É muito gratificante ver crescer o trabalho de grupos voluntários na defesa e proteção do lugar que estimam. E saber que a cada dia surgem mais e mais apoiadores desta causa, nos faz sentir que nossa sociedade, tão individualista e tão focada na satisfação dos interesses exclusivamente pessoais, ainda pode não estar tão perdida. Estas pessoas nos fazem sentir esperança e nos impulsionam a prosseguir na ideia de uma sociedade mais participativa e solidária.
Me refiro aqui ao trabalho do “Ondas do Peró”, grupo com atuação nas praias do Peró e Conchas, em Cabo Frio – RJ, do qual fazem parte todos aqueles que têm consciência da necessidade de preservar e cuidar de nosso patrimônio natural, em especial as praias da região.
O trabalho cresce a cada dia, com força total. Este ano, o ondas do Peró se apresentará na XIX SMA no dia 5 de Junho de 2013, quarta-feira, das 13h30 às 14h no Auditório Padre Anchieta. Realizará ainda a Oficina Lixo no Lixo, no dia 5 de Junho, quarta-feira, das 14h30 às 16h30. A oficina tem como tema o desenvolvimento de um conceito de embalagem contendo um padrão de 1/3 do espaço com informações sobre o material da embalagem, descarte correto, reciclagem e o meio ambiente. Vagas para 50 pessoas.
Para dúvidas e inscrições sobre a oficina, enviar e-mail para f.daquino@ibest.com.br com o assunto ” Lixo no Lixo”
Luciana G. Rugani