Acreditem, Aristóteles escreveu há 360 AC.

Dá pra gente perceber que o destino da humanidade é e sempre será o de ser feliz.

Admirável as palavras de Aristóteles há 360 AC, quanta sabedoria deixou para a humanidade e o quanto temos a disposição para a melhoria de nosso caráter e para a criação de novos hábitos.

Assim, evitarmos a violência contra quem quer que seja e contra nós mesmos é um princípio fundamental a ser perseguido em nosso dia a dia.

Aristóteles nos recomenda acalmar, para um melhor equilíbrio.

Aproveitem a lição deste grande mestre.

Hairon H. de Freitas.

aristoteles Revolução da Alma de Aristóteles.

“Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregues a tua alegria,  a tua paz, a tua vida,

nas mãos de ninguém, absolutamente de ninguém.

 Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos

de quem quer que seja.

 A razão da tua vida és tu mesmo.

A tua paz interior é a tua meta de vida.

Quando sentires um vazio na alma, quando acreditares que ainda está  faltando algo, mesmo tendo tudo,

remete o teu pensamento para os teus  desejos mais íntimos e busca a divindade que existe em ti.

 Pára de colocar a tua felicidade, cada dia, mais distante de ti.

 A razão da tua vida és tu mesmo.

 A tua paz interior é a tua meta de vida.

 Não coloques objetivos longe demais de tuas mãos, abraça os que estão ao  teu alcance, hoje.

 Se andas desesperado por problemas financeiros, amorosos  ou de relacionamentos familiares,

 busca no teu interior a resposta para te acalmares, tu és o reflexo do que pensas diariamente.

  Pára de pensar mal de ti mesmo e sê teu melhor amigo sempre.

 Sorrir significa aprovar, aceitar, felicitar.

Então, abre um sorriso para aprovar o mundo que te quer oferecer o melhor.

 Com um sorriso no rosto, as pessoas terão as melhores impressões de ti e tu estarás afirmando para ti mesmo,

que estás “pronto“ para seres feliz.

 Trabalha, trabalha muito a teu favor.

 Pára de esperar a felicidade sem esforços.

 Pára de exigir das pessoas, aquilo que nem tu conquistaste, ainda.

 Critica menos, trabalha mais.

 E não te esqueças, nunca, de agradecer.

 Agradece tudo que está na tua vida neste momento, inclusive a dor.

 A nossa compreensão do universo, ainda é muito pequena para julgar o que  quer que seja na nossa vida.”

Anúncios

Com 96 anos Fred compõe pra sua esposa que faleceu…. Emocionante.

index

Realmente emocionante a história de Fred, um senhor de 96 anos, que num momento de grande intuição escreveu letra e música de uma canção espetacular.

É bom quando ouvimos histórias com um conteúdo tão amoroso, que reflete a parte grandiosa de um ser humano. Esta sensação faz crescer acentuadamente o nosso bem estar e a esperança num mundo cada vez melhor.

Vale a pena ver este vídeo de 9:24 minutos e se emocionar:   http://youtu.be/04WvMQmBZM8

12 SINTOMAS DE UM POSSÍVEL DESPERTAR

La primera fotografía de J. Krishnamurti. Circa 1897, Madanapalle, Andhra Pradesh, India.

A primera foto de J. Krishnamurti. Circa 1897, Madanapalle, Andhra Pradesh, India.
Por: J. Krishnamurti:

1. Uma tendência crescente de deixar as coisas acontecerem ao invés de tentar controlá-las;
2. Ataques frequentes de alegria, sorrisos sem explicação e explosões de risos a qualquer momento;
3. Sensações de estar intimamente conectado aos outros e à natureza;
4. Episódios frequentes de apreciação e admiração com coisas simples;
5. Uma tendência de pensar e agir espontaneamente, no lugar do medo baseado na experiência passada;
6. Uma nítida habilidade de curtir cada momento;
7. Uma perda da habilidade de se preocupar;
8. Uma perda do desejo por conflito;
9. Uma perda de interesse por tomar as coisas como pessoais;
10. Uma perda de apetite em julgar o outro;
11. Uma perda de interesse em julgar a si mesmo;
12. Uma inclinação em dar sem esperar nada em troca.

krishnamurti1

A vida que você escolheu.

Reconhecer que apesar dos acontecimentos difíceis, a superação dos protagonistas eleva a auto-estima de todos nós que caminhamos em busca da esperança.

É isto que eles transmitem neste vídeo tão emocionante:  http://youtu.be/Zpu0-eI5Y2o

Créditos: Texto, direção e fotografia // RENATO CABRAL
Locução // LEANDRO SOSI
Trilha sonora original e mixagem // MAURÍCIO WINCKLER
Composição dos arranjos de cordas // GIORDANO PAGOTTI
Gravação cordas // RODRIGO NEPOMUCENO
Gravação locução // PAULO MENEZES
Masterização // BETO ROSA
Stead Cam e Slide // JOÃO MOTTA
Montagem // LUIS FELIPE PIMENTA
Edição e Finalização // FABRICIO SASSIOTO
Músicos // Maurício Winckler (violão, mandolin, banjo); Mara Paula (vocal); Thiago Calegari (baixo); Giovani Longo (percursão); Liliane Dias (violino); Bryan Marvean (violino); Gabriel Gonçalves (violoncelo); Brunno Thayer (violoncelo).
Tradução // LIVIA FERNANDES
Agradecimentos: Lara Stoque; Maria Bastos; Karoline Cordeiro; Alexandre Viera; Zagaia; Paula Bernardes;

Homenagem ao nosso amigo Raul Teixeira

Raul Teixeira continua vencendo as limitações, os medos e transmitindo lição de vida a todos nós que navegamos no mesmo barco.

Admiro muito a devoção deste trabalhador de Cristo, que continua mesmo dentro das dificuldades do corpo material, transmitindo fé aos que lhe estimam.

Peço ao Cristo de Deus que lhe conceda o melhor, pois ele estando com o corpo material respondendo aos estímulos do espírito, vai continuar levando a mensagem de amor a todos nós que permanecemos na retaguarda.

Muita Paz!

Aflição Vazia

aflicao

Ante as dificuldades do cotidiano, exerçamos a paciência, não apenas em auxílio aos outros, mas igualmente a favor de nós mesmos.

Desejamos referir-nos, sobretudo, ao sofrimento inútil da tensão mental que nos inclina à enfermidade e nos aniquila valiosas oportunidades de serviço.

No passado e no presente, instrutores do espírito e médicos do corpo combatem a ansiedade como sendo um dos piores corrosivos da alma. De nossa parte, é justo colaboremos com eles, a benefício próprio, imunizando-nos contra essa nuvem da imaginação que nos atormenta sem proveito, ameaçando-nos a organização emotiva.

Aceitemos a hora difícil com a paz do aluno honesto, que deu o melhor de si, no estudo da lição, de modo a comparecer diante da prova, evidenciando consciência tranquila.

Se o nosso caminho tem as marcas do dever cumprido, a inquietação nos visita a casa íntima na condição do malfeitor decidido a subvertê-la ou dilapidá-la; e assim como é forçoso defender a atmosfera do lar contra a invasão de agentes destrutivos, é indispensável policiar o âmbito de nossos pensamentos, assegurando-lhes a serenidade necessária…

Tensão à face de possíveis acontecimentos lamentáveis é facilitar-lhes a eclosão, de vez que a idéia voltada para o mal é contribuição para que o mal aconteça; e tensão à frente de sucessos menos felizes é dificultar a ação regenerativa do bem, necessário ao reajuste das energias que desastres ou erros hajam desperdiçado.

Analisemos desapaixonadamente os prejuízos que as nossas preocupações injustificáveis causam aos outros e a nós mesmos, e evitemos semelhante desgaste empregando em trabalho nobilitante os minutos ou as horas que, muita vez, inadvertidamente, reservamos à aflição vazia.

JesusCristo

Lembremo-nos de que as Leis Divinas, através dos processos de ação visível e invisível da natureza, a todos nos tratam em bases de equilíbrio, entregando-nos a elas, entre as necessidade do aperfeiçoamento e os desafios do progresso, com a lógica de quem sabe que tensão não substitui esforço construtivo, ante os problemas naturais do caminho. E façamos isso, não apenas por amor aos que nos cercam, mas também a fim de proteger-nos contra a hora da ansiedade que nasce e cresce de nossa invigilância para asfixiar-nos a alma ou arrasar-nos o tempo sem qualquer razão de ser.

Texto de: Emmanuel

O Crente e o Ateu

festa+no+céu

 

 

No ventre de uma mulher grávida estavam dois bebês.

O primeiro pergunta ao outro:

– Você acredita na vida após o nascimento?

– Certamente. Algo tem de haver após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.

– Bobagem, não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida?

– Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca.

– Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Eu digo somente uma coisa: A vida após o nascimento está excluída – o cordão umbilical é muito curto.

– Na verdade, certamente há algo. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.

– Mas ninguém nunca voltou de lá, depois do nascimento. O parto apenas encerra a vida. E, afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.

– Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós.

– Mamãe? Você acredita na mamãe? E onde ela supostamente está?

– Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria.

– Eu não acredito! Eu nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que não existe nenhuma.

– Bem, mas, às vezes, quando estamos em silêncio, você pode ouvi-la cantando ou sente como ela afaga nosso mundo. Saiba, eu penso que só então a vida real nos espera e agora apenas estamos nos preparando para ela…

 Agora, responda:

“O que é a vida e o que é a morte?”